Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Formação de Vínculos na Adversidade

Implementar programas em contextos com altos níveis de violência é um grande desafio e, ao mesmo tempo, é onde esses projetos são mais necessários. O programa de Formação de Vínculos na Adversidades, em Fortaleza, é uma inovação porque encontrou uma forma de contornar as dificuldades existentes em um ambiente de alto risco, para obter um impacto positivo por meio de visitas domiciliares. Em sua criação e implementação, o programa conseguiu incorporar a comunidade, ganhar sua confiança para que os visitadores pudessem fazer o seu trabalho e incluiu a opinião das mães para tornar o uso dos materiais mais motivador.

Problemática

Com exceção das zonas de guerra, a região da América Latina e Caribe é a mais violenta do mundo, e Fortaleza, em particular, é uma das cidades mais violentas do Brasil. A exposição a situações de violência afeta toda a família: crianças, cuidadores, familiares. Vivenciar essas situações de alto estresse limita sua capacidade de resposta e enfraquece os laços entre o cuidador e a criança, com consequências para toda a vida. Além disso, as complexidades da violência estrutural dificultam enormemente a implementação de programas de desenvolvimento da primeira infância e outros programas sociais tão necessários para minimizar as lacunas dessas populações em risco.

Solução

O programa capacita jovens mães e pais, entre 18 e 25 anos, com filhos entre 0 e 3 anos, em contextos de violência. O projeto visa fortalecer a qualidade das interações entre cuidadores e crianças e melhorar o desenvolvimento infantil por meio de visitas domiciliares, vídeos e mensagens de texto. Além disso, o processo de iteração de ciclo rápido (Fast-Cycle Iteration) permitiu aperfeiçoar o programa com base em dados, observações e feedback dos participantes, propiciando um envolvimento efetivo com a comunidade de Fortaleza.

Avaliação e Impacto

O programa contou com um teste de viabilidade que explorou a capacidade da equipe do projeto para se envolver efetivamente com a comunidade de Fortaleza. Além disso, o programa passou por três ciclos iterativos nos primeiros 18 meses, para verificar o que está e o que não está funcionando e fazer ajustes para aprimorar as estratégias e os materiais da intervenção. Nesse sentido, a equipe do projeto considera a implementação do programa um processo contínuo e de cocriação, que sempre pode ser melhorado. Após várias iterações de ciclo rápido, a equipe embarca  agora nas seguintes etapas: (i) explorar parcerias com o setor público para chegar a outros bairros de Fortaleza; (ii) melhorar suas diretrizes de facilitação e implementação; e (iii) aproveitar profissionais de saúde pública locais para ajudar a envolver os membros da comunidade.

Dados básicos

População alvo
Cuidadores
Meninas e meninos (0-3) anos
Area
Desenvolvimento do cuidador
Desenvolvimento cognitivo
Desenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento socioemocional
Instituição
iLab Primeira Infância, IPREDE
Lugar
Brasil / Fortaleza
Data de início
Estado
Estágio intermediário
Tipo de intervenção
Visitas domiciliares
Incentivos baseados na ciência comportamental
Modo de entrega
Lembretes por meio de aplicativos / mensagens de texto
Sessões individuais
Sessões virtuais